Gosto duvidoso para títulos!

Escrever é um processo engraçado! Às vezes ouço o trecho de uma música, vejo uma imagem em algum lugar na Internet ou em uma conversa sobre qualquer assunto aleatório, a ideia nasce. Simplesmente uma cena brota em minha cabeça!

Depois eu começo a prestar atenção nesse fragmento e ele cresce, toma forma e passa a existir em quase sua totalidade!! Ajusto coisas aqui e ali, travo uma briga com minha história e meus personagens e voilà! Mais um livro pronto!

Talvez não seja exatamente assim, mas também não é muito diferente desse “resumão” que as coisas funcionam. Cada um tem um processo criativo, mas eu sinto uma certa invasão (diria quase possessão) das minhas histórias em minha mente.

Certa vez, um amigo disse que parou de escrever um livro porque achou que estava ficando doido. Relatou que chegou ao absurdo de discutir com seus personagens… – (“cri, cri…” – barulho da minha mente em branco…) -Se eu parasse de escrever por um motivo desses, não tinha um livro pronto, mas não posso negar que algumas histórias nascem com uma intensidade avassaladora! Chegamos a assustar com a vida contida nelas!

Bem, o assunto nem era esse.

Gosto duvidoso para os títulos das minhas histórias? Estou pensando seriamente a esse respeito. Meu processo criativo é louco, mas colocar títulos nos meus livros é um verdadeiro tormento.

“Minha Cinderela Interior é um livro de auto-ajuda?”  Não. Na verdade é um romance erótico.

“Minha Cinderela Interior é um livro que trata do despertar de uma menina? Como pode ser um livro erótico?!” Pode ser encarado como um “despertar”, mas não de uma menina. ..

“Minha Cinderela Interior tem haver com o estereótipo do complexo de princesa que as garotas são levadas a desenvolver hoje em dia?” Que? Definitivamente não entendi essa pergunta…

“O título passa que é um romance água com açúcar de uma menina… Fora que a capa é cor de rosa.” Já entendi. Além do título passar a impressão de uma coisa que não é, o meu gosto para a capa também entrou em pauta, mas vamos deixar esse detalhe para depois.

Como disse, acho um tormento criar títulos para minhas histórias. Fico dando voltas, imaginando o que traduziria melhor o contexto daquele enredo, o que ficaria chamativo, legal e… nada vem.

O Protetor – pequeno. Incesto – óbvio. Minha Cinderela Interior – auto-ajuda. Amor Verdadeiro – insosso. Sou Teu Rei e Teu Escravo – grande. Guardiões – A Divisão dos Mundos – ??? (esse ninguém opinou, seja o primeiro) e Guardiões – As Alianças Místicas – o mesmo caso do anterior. Tenho outros dois, mas não me aventurei em colocar título ainda.

Fazer o que? Estou começando a ponderar o caso.


Voltando para casa

Voltando para Casa

O ano de 2013, para mim, voou. Terminei mais um livro esses dias atrás e confesso que estou exausta!

A história vai precisar de revisão, ajustes, mas no momento ela parece perfeita. Acho que é assim com todo escritor. A história cria vida em nossas cabeças, passamos ela para o “papel” e depois de algumas semanas quando você vai reler, quer mudar tudo! Tudo não dá, mas acabamos mudando varias coisas.

Pena que precisamos “desacoplar” do enredo antes de partir para essa nova fase. Acreditem, a sensação de trabalho terminado e sua ideia tomando forma em sua frente é espetácular (mas dá um trabalho…).

Acabei percebendo que minha vida on-line estava inexistente. Nem e-mail eu quase não li… Passei três dias para conseguir olhar tudo e separar o que é importante, mas “se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi…” (eu ia colocar: “…é que um livro eu escrevi”, mas achei brega demais!).

Aos meus amigos e grupos virtuais, peço desculpas pela sumida, mas foi por uma boa causa. Em relação a imagem, é que estou voltando para meu querido blog…


Era para ser “Cristácia”

Dia das Crianças a gente não pode deixar passar em branco!

Mesmo com quase (leia bem o “quase”) quarenta anos, hoje ganhei chocolate de Dia das Crianças! Achei tão fofo! Bem, entrando no assunto sobre feriado  sobre o dia de hoje, acabou surgindo um assunto bobo, da época que eu realmente era criança.

As más linguas dizem que eu sou praticamente o “Elo Perdido” já que lembro de filmes, seriados, desenhos e músicas que ninguém da minha geração nunca viu… Mas eu juro que fui criança um dia.

Voltando a minha história. Fui registrada em cartório quando tinha seis anos de idade. Não perguntem porque meus pais demoraram tanto, só sei que eu já estava em vias de entrar para a escola e ainda não tinha registro. Lembro como fosse hoje, a moça do cartório perguntando meu nome. “Graziella com Z e dois L”. Naquela época eu devia achar que esse era meu nome completo, pois lembro dessa história de “Z e dois L” desde os primórdios da minha existência.

A moça perguntou se eu queria esse nome mesmo, foi então que veio o problema. Já que ela tinha tocado na questão, eu queria muito trocar meu nome para “Cristácia”.

- Por que o nome “Cristácia”?

Pergunta mais boba… – Por causa da menininha do Gulliver! – A resposta saiu tão simples, como se fosse óbvio.

Depois disso eu fui convencida por minha mãe que todo mundo já estava acostumado com o nome “Graziella” e que era melhor ficar assim mesmo.

Para quem conheceu o desenho As Aventuras de Gulliver e para quem não conheceu:

 


Mês de Julho Está Chegando!!

Em 25 de julho teremos o dia nacional do escritor. Até lá vou falar mais desse dia (que agora também é meu), mas só estou comentando hoje para justificar o fato de ter voltado para um tema que já usei no cabeçalho. Achei que tem tudo haver com o mês de julho, só por causa da data…

Mês de férias, mas com um monte de coisas boas acontecendo em minha vida pessoal. Bem, esta semana dei o meu primeiro autógrafo!! Pena que não tirei foto. Fiquei feliz por uma amiga chegar com o livro na mão, intimando meu autógrafo… Falar a verdade, me senti!

Estou com tantos projetos, que estou tendo dificuldade de separar alguns para poder dar andamento. Ideias não faltam, mas o que falta é tempo. Queria que tudo rendesse algum dinheiro, pois assim estaria vivendo confortavelmente.

Mas como nem tudo é perfeito, estou dedicando-me ao que posso. Gostaria de ter entregue o livro revisado da Guangue do Livro Homo, mas estou pisando na bola com o Kiko Soares, um amor de pessoa que me acolheu e eu estou em falta até agora com ele… Perdão… sniff!

Esse mês escrevi um post por semana (no máximo!), mal passei pelo Face ou Twitter… assim serei esquecida…


Escritora Multitarefas!!

Você sabe o que significa jogar tudo para o alto e seguir seus sonhos? Uma faca de dois gumes! Não me arrependo de ter deixado um serviço chato, com uma “chefa” pra lá de maluca, pegando no meu pé só porque ela queria mais… mais… e sempre mais. Na ganância de querer tirar de seus funcionários até a última gota de sangue, desculpa, a palavra certa é “produtividade”, minha antiga empregadora fazia de sua empresa  uma casinha de bonecas, onde ela era a “rainha”, mandando e desmandando absurdos. (pronto, falei… rs…).

Hoje posso me dar ao luxo de escrever o que pensam 90% dos funcionários daquela empresa, sem precisar falar de quem se trata. Apesar, que só de ler, tenho certeza que você reconhece a pessoa, mesmo que não seja a pessoa verdadeiramente e muito menos a mesma empresa. Números, é disso que se trata.

O lado bom de tudo isso!

Depois que resolvi perseguir meu sonho, acreditem, aprendi muita coisa! O mundo da internet é realmente muito vasto! Editei meu primeiro livro, fiz amigos, vi coisas que acrescentaram em muito à minha vida e estou feliz! Pretendo continuar escrevendo e correndo atrás das minha coisas. Projetos são muitos e o tempo, apesar de contrariar o que as pessoas pensam de quem trabalha em casa, é pouco.

Alessandra Tavares - Duo AF

Tenho um mundo inteiro a minha frente e várias coisas a fazer. Conversando com uma amiga cantora, fui pedir para usar uma de suas músicas no meu book-trailler da Cinderela Interior e acabei aceitando a proposta dela em desenvolver um blog para a dupla da qual ela faz parte. O que começou como uma brincadeira, está crescendo!

Desenvolvi o blog e vou fazer a manutenção dele. Facebook e Twitter para a divulgação e… “voilà”…  Tudo modificou! Estou começando a aprender o que é trabalhar como empresária… Será que vai dar certo?

Depois de tudo isso, apresento a vocês a Duo AF. Alessandra Tavares e Fábio Medina estão com duas músicas no CD Festivais do Brasil Vol 7, que foi lançado no comecinho do mês. São amigos muito queridos e estão retomando o sonho de também viver trabalhando com o que gostam!

Essa música é a que escolhi para compor o book-trailler de Minha Cinderela Interior. Comentem e façam uma blogueira feliz!! (pode ser um jargão, mas é verdade. Fico feliz quando vocês comentam.)


“Odeio Segunda-Feira!”

Acredito que muitos lembram-se do gato Garfield que, além de ser alucinado por lasanha, era preguiçoso e odiava segundas-feiras.

Não é que eu odeio o começo da semana, mas hoje poderia ser terça, quarta ou sábado… Acho que meu humor seria quase o mesmo.

Estou deprimida! Deixa eu reclamar um pouquinho, vai! Não sou de fazer isso, mas… rs… estou fazendo agora. Amigos próximos, família, amigos não tão próximos, conhecidos… Estou carente porque não me sinto acolhida.

… “cri! cri!”… (imitação boba de grilo)

Está bem, parei! Começou a passar na cabeça um monte de coisas para escrever e… Esquece! Minha depressão virou só um incomodo e passou! Passou mesmo. Lembrei do Marcos Lemos do Ferramentas Blog contando a história do senhor que vende salgados no prédio que ele tem escritório. Vale a pena conferir, principalmente se você tem um blog e às vezes fica um pouquinho desanimado (a).

Obs: Marcos Lemos cedeu o vídeo da postagem para que eu pudesse colocá-lo para meus leitores. Obrigada, Marcos.


Trabalhar um pouco, mesmo que seja de maneira preguiçosa… Boa semana a todos que acompanham meu blog. Ah, se você leu até aqui, que tal deixar um comentário? Adoro quando vocês deixam pelo menos um “oi”. ;-)


Ressurgindo das Cinzas, tal qual uma Ave Fênix!!

Desculpa se sumi…

Viajei de ultima hora, nada programado. Vinte e três hora na quinta-feira foi decidido que as cinco da manhã sairíamos para Cambuí!

Fiz as malas correndo, rezando para não ter esquecido nada. Oito horas da manhã estava tomando café na casa do cunhado. Adoro o pessoal de lá!

Infelizmente, nem tudo saiu como planejado. Resumo da ópera: Fiquei sem internet a minha disposição, mas sobrevivi! Voltamos de ônibus (até aí, tudo bem), mas uma viajem de duas horas, levou quatro! Transito! Na estrada só se via as luzes vermelhas fazendo fila…

Cheguei na Rodoviária Tietê por volta da 00:30h! Detalhe, nesse horário não tem mais metrô! A fila do táxi era quilométrica e não tinha ninguém que eu pudesse ligar nesse horário (sem matar do coração) para pedir uma carona!

Certo, o metrô volta as quatro e ficar de bobeira por três horas e meia nem é tão ruim assim. Pena que eu não vi a lan-house logo que cheguei, ou tinha adiantado o expediente (rs). Vi coisas interessantes naquele lugar.

Pessoas se ajeitando para cochilar em cadeiras que não dá para se ajeitar; Toalhas de banho sendo estendidas no chão para realizarem pequenos pique-niques; Refrigerante de 600ml custando o mesmo que um de 2L (lei da oferta e da procura!); Um carrinho simpático que ia e voltava limpando o chão… Graças a Deus eles não cobram mais para se poder usar o sanitário!

Tirei até foto do relógio da estação para provar o horário que eu estava lá. Não adiantou muito, pois não consegui baixar as fotos para o computador.

Agora vamos ao saldo:

Chegamos em casa as seis da manhã. Ciático atacado (4:00h de ônibus + 3:30h na estação + 1:45h de condução para chegar em casa = ciático esbugalhado!)

Quer mais? Contraí uma virose que me fez passar uma semana de realeza! Sobrevivi e voltei!!

No próximo feriado, talvez eu volte para Cambuí!


Tédio II

Está bem, não sei se isso tudo é tédio! Ontem estava mais com cara de tédio, mas acho que é mesmo um sintoma de ansiedade… A Minha Cinderela Interior está prontinha para lançar, mas estou esperando a última revisão para poder abrir no site da editora Perse e poder divulgar… Sniff!

Eu sei que estou me comportando como uma criança, principalmente pelo livro estar saindo só on-line, mas uma de minhas histórias mais água com açúcar está criando forma para voar… (como naquele vídeo lindo dos livros voadores).

Detesto ficar choramingando, pois isso nem é minha cara! Só que no dia 24 deste mês, a minha sobrinha linda e maravilhosa  vai fazer aniversário (12 aninhos) e eu queria marcar o lançamento do meu primeiro livro nesse dia tão especial.

Certo, o dia especial é dela, mas eu queria fazer uma homenagem já que ela já está ensaiando uns contos e diz que vai escrever um livro (…igual a tia!!) e ser escritora.

Tia coruja fica toda emocionada!!

Eu comecei a escrever mais ou menos nessa idade. Hoje eu me arrependo de ter jogado fora os meus cadernos de criança, pois acho que perdi uma parte muito importante da minha história, mas na época (como eu já disse) ficaria envergonhada de imaginar que alguém poderia ler aquilo.

Claro que vou incentivar a minha sobrinha a escrever, mesmo sabendo que é muito difícil ganhar dinheiro sendo escritora (rs). Paixão não se mede mesmo com cifras, não é mesmo?

Já fiquei mais animada! Quando descobrimos exatamente de onde vem o problema, fica mais fácil resolver.  Acredite, escrever um blog é mesmo uma terapia.


Tédio

Abro meu blog pela manhã e já acho uma enxurrada de spam!  Não pensei que o caso fosse tão problemático a ponto de me fazer perder um bom tempo para separá-los dos meus comentários. Mudei umas configurações, mas parece que não adiantou muito. Devo estar fazendo alguma coisa de errado!

Tudo bem, esse ainda não é o problema, pois o que está me preocupando mesmo é esse tédio que me pegou pelo pé nesses últimos dias. Nada que eu tenha feito rendeu e tudo me deixou impaciente…

Nem Savajhe me salvou! (O Protetor -  romance que estou escrevendo no momento).

Bom final de semana para todos. Espero que hoje minha aula de (paquera com) Direito me salve do marasmo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...